Discografia

Spot on Swing – 2o17

Spot on Swing é o nome do projeto que reune o cantor/guitarrista Ricardo Baldacci, o contrabaixista acústico, Martin Pizzarelli e o pianista Larry Fuller. O trio sem bateria, a-la Nat King Cole, de maneira moderna e com propriedade, interpreta os clássicos do Swing, estilo popular de jazz, que foi base para difusão do cancioneiro popular norte-americano e celeiro para grandes improvisadores do estilo.
Em fevereiro de 2017 Baldacci, Fuller e Pizzarelli se reuniram numa tarde no estúdio de gravação Trading 8s em NJ, para, sem compromisso, gravarem algumas faixas na companhia do engenheiro de som ganhador do Grammy, Bill Moss. O ‘Spot on’ que integra o nome do trio batizado por Martin, faz menção ao momentâneo e espontâneo, pois foi desta forma que se deu o encontro inicialmente não programado entre amigos que decidiram o repertório, criaram os arranjos e gravaram várias faixas em três horas.
O grupo é uma consequência do álbum Brothers in Swing, feito em Nova Iorque em 2015, que contava também com Baldacci como líder, o pianista australiano Konrad Pazskudzki e o lendário guitarrista de jazz norte americano Bucky Pizzarelli, de 92 anos.
Natural de Toledo, Ohio, Larry Fuller é considerado como um dos melhores pianistas de mainstream jazz da sua geração. Por anos, acompanhou o lendário contrabaixista Ray Brown, o baterista Jeff Hamilton e o cantor-guitarrista John Pizzarelli. Seu trabalho como pianista e diretor musical com a icônica cantora Ernestine Anderson foi indicado ao Grammy.
Nascido em Paterson, Nova Jersey, Martin Pizzarelli é filho de Bucky Pizzarelli e irmão mais novo de John Pizzarelli. Martin viajou o mundo ao lado do irmão fazendo parte do John Pizzarelli Trio e do John Pizzarelli Quarteto por décadas. O contrabaixista coleciona dezenas de discos gravados, a maioria na companhia de pianistas como Larry Fuller e Ray Kennedy. Seu estilo de tocar contrabaixo frequentemente é comparado aos seus ídolos Milton Hinton e Ray Brown.
Ricardo Baldacci é natural de São Paulo e, em sua jovem carreira, tem dois discos lançados e apresentações nos EUA, Suécia, Paraguai e Argentina. No projeto Spot on Swing, Baldacci tem a chance de cantar e tocar lado a lado com alguns dos seus maiores ídolos.

#jazz #ricardobaldacci #swingjazz
spotfy  itunes

ENGLISH VERSION

Spot on Swing features singer/guitarist Ricardo Baldacci, double-bass player Martin Pizzarelli and pianist Larry Fuller. The Nat King Cole-inspired drumless trio interprets timeless songs of The Great American Song Book.
Baldacci, Fuller and Pizzarelli met each other in an winter afternoon of 2017 at Trading 8s Recording Studio in New Jersey to jam and record some tracks. The Grammy Award-Winning sound engineer, Bill Moss, was there to capture the sound and later mix and master the music.
Spot on Swing is how Martin Pizzarelli describes this spontaneous live session with arrangements and music decided on the spot.
This gathering is a sequel to Brothers in Swing (2015) that had Baldacci as a leader, legendary jazz guitarist Bucky Pizzarelli and Konrad Paszkudzki.
Born in Paterson, New Jersey, Martin Pizzarelli is the son of Bucky Pizzarelli and younger brother of John Pizzarelli. Martin traveled the world alongside his brother being part of the John Pizzarelli Trio and the John Pizzarelli Quartet for decades. The bassist is heard in dozens of records, most in the company of pianists such as Larry Fuller and Ray Kennedy. His style of playing bass is often compared to his idols Milton Hinton and Ray Brown.
Brazilian Ricardo Baldacci leads his trio in São Paulo. In the Spot on Swing project, his third release as a leader, Baldacci has the chance to sing and play side by side with some of his greatest idols.

 

Brothers in swing – 2o15

Produzido por Ricardo Baldacci, Brothers in Swing é o segundo álbum de carreira do cantor/guitarrista, e até hoje o primeiro registro nacional com o guitarrista e lenda do jazz, o norte-americano Bucky Pizzarelli. O projeto colaborativo também conta com o contrabaixista Martin Pizzarelli, que batizou o CD, e o pianista australiano, Konrad Paszkudzki.

Baldacci é um dos poucos representantes do Swing Jazz no Brasil e um admirador de longa data da família Pizzarelli. Em maio de 2014, foi convidado para tocar em um festival em Manhattan por Lenny White e conheceu Bucky Pizzarelli, um dos patriarcas da guitarra jazz. Na ocasião, encontrou o engenheiro de som Bill Moss e comentou sobre a utópica possiblidade de gravar um disco com os seus ídolos.

Em janeiro de 2015, Ricardo escreveu a Bill perguntando se haveria a chance de tornar realidade aquele projeto de que haviam falado. A resposta veio em duas semanas, com as datas de gravação já programadas. Ricardo Baldacci fez uma breve seleção de músicas, escreveu alguns arranjos e foi para Nova Iorque 15 dias depois.

Gravado em duas sessões no Samurai Hotel Studios no Queens, NY, Brothers in Swing acontece em clima de espontaneidade e camaradagem e tem o “swing” (balanço) como marca registrada. É uma grande homenagem de Baldacci à música da família Pizzarelli, que retribui na mesma proporção ao artista brasileiro. Mais uma vez, a exemplo do seu CD prévio, Baldacci escolheu por preservar, na maioria das faixas, a sonoridade do trio sem bateria (baixo-acústico, piano, guitarra/voz) que neste disco se alterna entre arranjos de duos de guitarra e voz, piano e voz, e também números solos de guitarra.

O CD apresenta em 17 faixas, uma série de composições clássicas, além de duas originais de Ricardo Baldacci e uma em parceria com Martin Pizzarelli e Konrad Paszkudzi. No repertório, há grande variedade: “swing”, baladas e “novelty songs” – canções como In a Mellow Tone (Duke Ellington), Embraceable You (Gershwin) e Route 66 (Bobby Troup), além de outros “standards”, entre eles alguns desconhecidos como a pouco gravada Call The Police (Nat King Cole).

A arte do disco feita pela designer, Emilene Miossi, também remete ao clima descontraído daquelas tardes de tempo frio mas de muito calor humano, com fotos dos encontros na casa do Bucky Pizzarelli no interior de Nova Jersey e das gravações no Queens.

Brothers in Swing é um tributo a alegria e a sonoridade típica do Swing Jazz, um disco repleto de atuações inspiradas que emocionam e um prato cheio para os amantes do Great American Songbook.

spotfy rdio itunes Google-Play-logo deezer

ENGLISH VERSION

Brothers in Swing is the second album of the singer/guitarist Ricardo Baldacci and the first Brazilian release featuring jazz guitar legend Bucky Pizzarelli. This cooperative project also features the talents of bassist Martin Pizzarelli and pianist Konrad Paszkudzki.

Baldacci is a long time admiror of the Pizzarelli family and one of the few representatives of Swing Jazz in Brazil. He was invited by drummer Lenny White to play in a jazz festival in Manhattan when he first met Bucky. In this trip Baldacci also met sound engineer Bill Moss and asked him about the possibility to record an album with his idols. Bill said it was feasible.

Baldacci wrote to Bill, in early January 2015, mentioning the talk they had 10 months before. Bill took two weeks, answered ‘yes’ and booked the sessions. So Ricardo Baldacci made a brief selection of songs, wrote down some arrangements and flew to NYC, 15 days later. Brothers in Swing was recorded in two sessions at Samurai Hotel Studios, Queens, NYC, filled with spontaneity and camaraderie. The album has the precious swinging tempos as its trademark. It showcases Baldacci’s admiration to the music made by the Pizzarelli’s who retributes with respect and joy to the Brazilian artist.

Baldacci, once again chose to keep the sound of the drumless trio (guitar/vocal, bass, piano) in most of the tracks, which are alternated with guitar/vocal and piano/vocal duos as well as solo guitar performances.

The CD has 17 tracks, with Standards, two original compositions by Baldacci and one track co-written with Konrad and Martin. There is a great variety in stylistic approach featuring swinging numbers, ballads and even novelty songs. The track list includes tunes like In a Mellow Tone (Duke Ellington), Embraceable You (Gershwin), Route 66 (Bobby Troup) and the almost unknown Call the Police (Nat King Cole). Brothers in Swing is a joyful tribute to the classical Swing Jazz sound and is filled with outstanding moving performances. All in all, a great CD for lovers of the Great American Songbook.

Tain’t what you do, it’s the way that you do it – 2o13

Este é o albúm de estréia do Ricardo Baldacci Trio. Carregado do mais puro Swing Jazz do início ao fim.

O título do trabalho é uma expressão popular que virou música no final dos anos 1930, que diz ser mais importante a maneira de se fazer algo. E, se for de uma forma fácil e descontraída, há swing e resultados.

Os três rapazes de trinta e poucos, gravaram um CD feito de canções que emocionam e fazem dançar, um apanhado das diversas facetas do Swing Jazz de forma moderna: blues, baladas, swings e instrumentais; com arranjos cuidadosos, muita improvisação e valiosas participações especiais.

Com muito balanço e bom humor, em quinze faixas, o Trio apresenta quatro composições próprias e mais onze canções, algumas clássicas do estilo, de compositores como os irmãos Gershwin e Jimmy Van Heusen e outras um tanto desconhecidas. Todas servem de veículo para mostrar a coesão do trabalho do time e suas influências que vão desde os inevitáveis trios sem bateria de Nat King Cole e John Pizzarelli, às orquestras de Count Basie e Duke Ellington além de cantores como Frank Sinatra e Jimmy Lunceford. O disco conta ainda com a participação especial do grupo de harmonia vocal sueco The Hebbe Sister, que assim como o Ricardo Baldacci Trio, integraram o lineup do HDC, maior evento de Lindy Hop da Suécia e um dos maiores do mundo em 2012. As jovens pegam carona e também estreiam em registro fonográfico. É a prova que o estilo musical incluído neste trabalho transcende as barreiras da nacionalidade e tempo.

Entre as composições autorais no CD temos a balada dançante, Because of You; um pulsante tributo aos lindy hoppers, Do The Lindy Hop; e o blues com o jeitão de big band, Baldacci’s Blues – as três assinadas por Ricardo Baldacci. Há também um outro blues menor de harmonia moderna, que faz referência aos tempos de ouro da Blue Note chamado Sutra’s Blues, uma homenagem do baixista Ricardo Ramos a sua esposa chamada Sutra. Entre as tradicionais do cancioneiro popular de swing temos: ‘S Wonderful, Come Fly with Me, For Sentimental Reasons, a adaptação do arranjo de Billy May em All I Need Is The Girl, e uma das canções mais executadas em coreografias de sapateado e lindy, Tain’t What You Do.

O projeto conta com nomes de peso na produção: Bill Moss e Jim Czak, dois dos mais reconhecidos engenheiros de som e produtores da história do jazz, que aqui são os responsáveis pela mixagem e masterização. Mais que um capricho, estes profissionais assumiram suas funções como uma maneira que o trio de jazz encontrou para garantir os timbres e sonoridades clássicos desejados. Se a idéia era fazer um disco de swing jazz dentro de sua concepção mais pura, porque não colocar pra trabalhar aqueles que verdadeiramente fizeram alguns dos melhores e mais clássicos discos de jazz de todos os tempos.

Tain’t what you do é uma celebração ao swing, aos lindy hoppers e aos amantes dos estilos. Também é um disco gostoso de ouvir para quem simplesmente é fã de boas melodias e tem uma queda pelo jazz.

With the true essence of jazz, this CD can give you nothing but swing, baby. A trio that’s done its homework with arrangements reminiscent of Nat King Cole and a tip of that to the John Pizzarelli trio. Pianist Hercules Gomes and bassist Ricardo Ramos provide relentless harmony and beat while the guitar swings with echoes of Freddie Green and Bucky Pizzarelli who said: “Who’s that playing rhythm? He is good!” about Ricardo Baldacci. All in all, a great swinging CD for all you lindy hoppers, as well as music fans who love swinging jazz. Martin Pizzarelli

spotfy rdio itunes Google-Play-logo

Hello, Mr. Cole! DVD Demo – 2o11

No início, as 10 faixas do Ricardo Baldacci Trio gravadas no Espaço Cachuera em São Paulo, não foram documentadas com pretensão nenhuma de virar um DVD. A gravação deveria servir apenas como um vídeo de registro das apresentações da banda para ser usado como parte da divulgação. Acontece que o trabalho da formação do Ricardo Baldacci Trio consolidado com Hercules Gomes, Ricardo Ramos e, claro, Ricardo Baldacci, deu tão certo que Martin Pizzarelli indicou Jim Czak, dono do Nola estúdios em NYC e um dos maiores produtores da história do Jazz, para coproduzir o trabalho. Então, as imagens, que já haviam sido captadas com qualidade de cinema, viraram coisa muito séria. O DVD Promocional “Hello, Mr. Cole!” é uma homenagem sóbria e de bom gosto do Ricardo Baldacci Trio às gravações que o Nat King Cole Trio fez em 1940. Até mesmo a capa do DVD carrega este clima. Com músicas como “Unforgettable” e “Straighten Up and Fly Right”, Ricardo Baldacci Trio traz de volta uma delicadeza que parecia ter se perdido no tempo.

Anúncios